Aprecie a escada da vida!

Aprecie a escada da vida, aquela que acordamos todos os dias dispostos a subir, e que nossas avós costumavam aconselhar: “um passo de cada vez”. Lá no alto, imaginamos algo grandioso, como a realização de um sonho, ou um final feliz. Trabalhamos para subir, subir na vida, como se diz. Mas essa caminhada parece ser tão confusa, não? 

Entenda que estar no topo não é e nem deve ser o seu único motivo de alegria. Entenda também, que você não precisa pisar em ninguém para subir os degraus, e que esses, devem ser vividos um por um. Tenha a consciência de que o degrau que você subiu, não voltará mais, e que não, você não vai poder “descer” e repetir o feito. Você pode até descer alguns, ou descer todos e recomeçar do zero, mas aquele tempo dedicado à subida mal realizada, esse já não volta mais.

Tenha consciência também, de que nem tudo na vida acontece no tempo que desejamos, que cada degrau é único, e às vezes, para subir um só, demoramos muito mais do que imaginamos. 

Tem gente que parece ir tão rápido! Mas não olhe para o lado, pois cada um possui o seu número de degraus para subir, às vezes menos, às vezes mais do que os seus. Não zombe de quem está mais abaixo, nem inveje quem parece estar mais no alto. Cada um está onde deveria estar.

Tem aqueles que gostam de dar o passo longo, cortar caminho, dar um “jeitinho” aqui e ali para passar à frente, e deixam de lado alguns dos maiores valores da vida, como a honestidade. Mas saiba que lá na frente o desequilíbrio por esses passos longos é grande, e o tombo vem. Evite passos “maiores do que a perna”, acredite, não são os melhores, mesmo feitos na inocência, culpados pelo impulso.

Tem gente que tem pressa, faz tudo tão rápido, tão focado no tal amanhã que nunca chega, que pode até chegar ao “topo” rápido, mas como recompensa, olha para trás e percebe que simplesmente não curtiu nem um degrau, que a vida passou, que as alegrias e fases únicas estavam bem na frente de seus olhos, mas a pressa era tanta em procurar por uma outra alegria, que esqueceu de olhar em volta, subiu correndo, e mesmo rodeado de gente, solitário. Esse alcançou o seu topo, mas não viveu.

Entenda que apreciar a subida, é muito mais importante do que o momento da chegada ao ponto máximo (se é que ele existe mesmo). Pode ser que esse momento nunca chegue, ou pode ser que você faça de seu degrau diário, seu “topo” diário. Tudo depende da perspectiva que você põe na sua própria vida. Viva a caminhada, e como eu gosto de dizer, seja feliz, todos os dias!

Boa noite meus amores! ♥